A Visão dos Diferentes Povos Sobre a Criação do Mundo

1692 palavras 7 páginas
A Visão dos Diferentes Povos Sobre a Criação do Mundo
A maioria esmagadora dos leitores da Bíblia não percebe, mas os dois primeiros capítulos do livro sagrado de cristãos e judeus retratam não uma criação do mundo, mas duas. O ser humano surge de duas maneiras diferentes, uma logo depois da outra, e até o deus responsável pela criação não tem o mesmo nome nos dois relatos. Essa natureza contraditória e fascinante do Gênesis, o primeiro livro da Bíblia, está sendo revelada por uma série de estudos históricos e lingüísticos do texto sagrado. A arqueologia, por sua vez, mostra a relação dessas histórias com as de outros povos do Oriente Médio -- às vezes tão parecidas com o Gênesis que ajudam a recriar a "pré-história" das Escrituras.
…exibir mais conteúdo…

Tal como o primeiro capítulo do Gênesis, o "Enuma Elish" também descreve um mundo primordial coberto pelas águas, que é organizado por um deus -- no caso, Marduk, que estabelece o firmamento celeste, a terra firme e os astros. Como explicar as semelhanças? Para Osvaldo Luiz Ribeiro, doutorando da Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-RJ) cuja tese versará justamente sobre a primeira narrativa da criação, não é preciso pensar numa influência direta do "Enuma Elish" (que pode ter sido escrito por volta de 2.000 a.C.) sobre a Bíblia. "Esses relatos dependem mais da plataforma cultural comum do mundo semita [grupo que incluía tanto israelitas quanto os falantes do acadiano]" -- ou seja, teriam apenas uma origem remota comum. Já Christine Hayes vê as semelhanças, na verdade, como uma crítica polêmica dos israelitas aos seus vizinhos pagãos. Ao adorar um deus único e soberano sobre a natureza, eles teriam usado elementos parecidos para contar uma história totalmente diferente. O deus Marduk, por exemplo, precisou lutar contra uma feroz deusa aquática, chamada Tiamat -- uma espécie de representante das águas primordiais --, para criar o mundo. Já o Deus da primeira narrativa da criação simplesmente manda as águas se mexerem -- e elas se mexem sem resistência, argumenta Hayes. "O ouvinte antigo imediatamente ia ficar de orelhas em pé. Ia ficar pensando: cadê a batalha? Cadê o sangue? Achei que conhecia essa história", diz a pesquisadora.

Relacionados

  • ‘’A terra dos brasis’’ A natureza da America Portuguesa vista pelos primeiros jesuítas (1549-1596)
    4101 palavras | 17 páginas
  • Resenha landa cope
    2575 palavras | 11 páginas
  • Resenha do capítulo cultura e diversidade, do livro o que é cultura de josé luiz dos santos.
    464 palavras | 2 páginas
  • resumo do livro comunicação e identidade
    1064 palavras | 5 páginas
  • Sociologia da arte
    1408 palavras | 6 páginas
  • quando surge a cultura
    911 palavras | 4 páginas
  • Retrato do Brasil, de Paulo Prado. Resumo
    1366 palavras | 6 páginas
  • A afirmação histórica dos direitos humanos - fabio konder comparato
    1343 palavras | 6 páginas
  • AV 1 - LICENCIATURA - SOCIEDADE EDUCAÇÃO E CULTURA
    978 palavras | 4 páginas
  • O movimento em expressão e rítmo - dança
    2636 palavras | 11 páginas