A filosofia do direito de platão

4062 palavras 17 páginas
A Filosofia do Direito de Platão

A CONCEPÇÃO PLATÔNICA DE JUSTIÇA DO MODO COMO SE EVIDENCIA NA REPÚBLICA

O Estado ideal de Platão possui dois atributos, a saber: funda-se sobre a justiça e, todos os cidadãos que nele vivem são felizes. Para isso, Platão procura criar uma cidade-Estado pequena escala, tendo como modelo as sociedades tribais e fechadas de Creta e Esparta pré-clássica. Por conseguinte, para descrever sua sociedade ideal, o filósofo investiga a idéia do bem-comum. Segue-se que, a justiça é necessária para o funcionamento do bem comum. Aqui, a democracia desposa a “liberdade” por meio do qual “todo indivíduo é livre para agir como bem lhe aprouver”. No entanto, o pluralismo, a diversidade e a variedade possuem efeitos
…exibir mais conteúdo…

Portanto, o sistema educacional impões aos jovens um único conjunto de valores, e o faz de modo que assegure que mais tarde eles não venham a tornar-se céticos quanto a eles. Logo, Platão não deseja que a educação torne as pessoas autônomas, assim, é dever estabelecer a autoridade. Só a elite dispõe dos recursos da educação, do tempo e da aprovação para envolver-se com o questionamento intelectual sistemático, afinal, seria perigoso encorajar a massa da população para um questionamento das convenções sociais que estão nas bases da ordem. Uma pessoa não deve se envolver em um processo pessoal de especulação sem chegar à uma resposta correta ou chegar apenas à uma resposta parcial. Os que conhecem a resposta deve simplesmente fornecê-la a essa pessoa.

Entretanto, para o liberal moderno, Platão tem não apenas uma confiança equivocada na possibilidade concreta de se chegar à verdade absoluta, como também demonstra uma confiança ingênua na capacidade de as elites apreenderem-na e agirem com integridade, de modo que usem seu poder em conformidade com os ditames de tal conhecimento. Platão confia em excesso no exercício do poder por parte das elites, o filósofo parece também incapaz de distinguir entre unidade e uniformidade. Tendo em vista sua divisão das pessoas em diferentes papéis sociais, a unidade da sociedade provém do desempenho dos papéis dentro de uma mesmice uniforme. Platão também não se ocupa muito daqueles que não conseguem desempenhar seus papéis com o devido

Relacionados