A importancia da família para adolescentes em conflito com a lei

13562 palavras 55 páginas
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO 10
CAPÍTULO I 14
O ADOLESCENTE AUTOR DE ATO INFRACIONAL E A LIBERDADE ASSISTIDA 14
1.1 HISTÓRIA DE ATENDIMENTO AO ADOLESCENTE BRASILEIRO: DA DOUTRINA DA PROTEÇÃO IRREGULAR ATÉ A DOUTRINA DE PROTEÇÃO INTEGRAL 14
1.2. A LIBERDADE ASSISTIDA À LUZ DO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 19
1.3. O ECA E AS MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS EM MEIO ABERTO: PROGRESSO OU RETROCESSO? 22
CAPITULO II 28
A FAMÍLIA EM FOCO 28
2.1. BREVE HISTÓRICO DAS MUDANÇAS DA ORGANIZAÇÃO FAMILIAR 28
2.2. FAMÍLIA E ADOLESCENTE EM CONFLITO COM A LEI: A DINÂMICA DE RELAÇÃO 32
2.3. O PAPEL DA FAMÍLIA JUNTO A ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI 36
CAPÍTULO III 39
CONTEXTUALIZAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO MUNCIPIO E DO “PROJETO RENASCER” EM MIRANDÓPOLIS
…exibir mais conteúdo…
De acordo com Volpi (2001), o discurso que envolve a maioridade penal, compromete a constitucionalidade dos direitos da adolescente apresentados pelo ECA, que os consideram como pessoas em desenvolvimento.
Alguns autores afirmam que a inimputabilidade apresentada pelo ECA, deixa as vísceras a ausência de responsabilização do adolescente pelo seus atos, além de fomentarem a prática criminal, uma vez que muitos adultos usam os adolescentes para praticarem crime, por que estes não podem ser presos por longo tempo, sendo os mesmos portadores de direitos de substituição de penas, deixando a prisão somente para casos em que esgotados todas as possibilidades de cumprimento em meio aberto.
Nesse sentido, é preciso pontuar que o ECA (1990) não desresponsabiliza o adolescente e sim conferem penas conforme sua condição de cumpri-las e de acordo com seus atos, no intuito de garantir a formação dos mesmos enquanto pessoas que estão passando por um período permeado por mudanças em todos os sentidos.
As medidas socioeducativas nesse contexto têm por finalidade possibilitar ao adolescente o rompimento com práticas infracionais, através da ressocialização dos mesmos, pensando em um processo educativo e socializador e não punitivo. Isto ocorre através da implementação de políticas públicas que venham atender

Relacionados

  • adoção
    2121 palavras | 9 páginas
  • Medidas socioeducativas
    2269 palavras | 10 páginas
  • levantamento de demandas
    1265 palavras | 6 páginas
  • A Eficácia das Medidas Socioeducativas aplicadas ao menor infrator
    9132 palavras | 37 páginas
  • Estudo de caso individual onibus 147.pdf
    2211 palavras | 9 páginas
  • A REINCIDÊNCIA DE JOVENS E ADOLECENTES INFRATORES
    3851 palavras | 16 páginas
  • A eficácia das medidas socioeducativas aplicadas ao menor infrator
    10194 palavras | 41 páginas
  • A influencia da família com a interação do adolescente na sociedade
    2580 palavras | 11 páginas
  • Relaçao familia escola e comunidade
    1348 palavras | 6 páginas
  • A interlocução com o direito à luz das práticas psicológicas em vara de família
    4982 palavras | 20 páginas