A interculturalidade ou imposição da cultura dominante

3772 palavras 16 páginas
A INTERCULTURALIDADE OU IMPOSIÇÃO DA CULTURA DOMINANTE

Maria das Graças de Araújo magraara@yahoo.com.br Resumo: o artigo discute estudos realizados com base no materialismo histórico e dialético e decorrente da nossa experiência como professora de Sociologia e Sociologia da Educação e de Filosofia e filosofia da educação, bem como das palestras ministradas nas escolas do ensino fundamental e médio decorrentes de uma prática de extensão universitária realizada no Campus de Rolim de Moura. Este trabalho envolve temáticas relacionadas ao currículo escolar na busca de debater com professores e alunos a apreensão de conteúdos concernentes aos temas transversais presentes nos Parâmetros Curriculares Nacionais - PCNs tais como: racismo,
…exibir mais conteúdo…
No entremeio das diretrizes dominantes, as diversas formas de expressão, os dialetos e sotaques presentes nas diversidades culturais determinadas pelo regionalismo e as formações históricas de cada povo, cujos estereótipos e discriminações, “parecem ser” algo independente da pretensa superioridade da classe dominante em relação às diferenças.
A interculturalidade deve ser respeitada, desde permaneça inalterada as diferenças de classe, e que a ideologia dominante prevaleça sufocando idéias que defendam os interesses dos dominados, contribuindo para a organização de lutas em função da destruição do capitalismo.
De acordo com Bagno (2003, 2000), as expressões lingüísticas de prestígio, diz respeito às expressões lingüísticas da classe social de privilegiada economicamente, que num país como o Brasil, a linguagem considerada de prestígio diz respeito àquele que traz sotaques e dialetos do centro financeiro e cultural do país.
Conforme nos ensino Bagno (2000, p. 139-140),

Por mais que isso nos entristeça ou irrite, é preciso reconhecer que o preconceito lingüístico está aí, firme e forte. Não podemos ter a ilusão de querer acabar com ele de uma hora para outra, porque isso só será possível quando houver uma transformação radical do tipo de sociedade em que estamos inseridos, que é uma sociedade que, para existir, precisa da discriminação de tudo o que é diferente, da exclusão da maioria em beneficio de uma pequena minoria, da existência de mecanismos de

Relacionados

  • A rede decolonial de pensamento
    4220 palavras | 17 páginas
  • Cinco ideias equivocadas sobre os índios- José Ribamar Bessa Freire
    9027 palavras | 37 páginas
  • Políticas da diferença: para além dos estereótipos na prática educacional
    9488 palavras | 38 páginas
  • Diálogo interreligioso e construção da cidadania em um mundo globalizado: a contribuição do sincretismo religioso brasileiro
    6255 palavras | 26 páginas
  • CULTURAS ESCOLARES, CULTURAS DE INFÂNCIA E CULTURAS FAMILIARES: AS SOCIALIZAÇÕES E A ESCOLARIZAÇÃO NO ENTRETECER DESTAS CULTURAS
    9577 palavras | 39 páginas