Análise critica do conto a casa tomada de júlio cortazar

2442 palavras 10 páginas
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ............................................................................. ...................3
2 ANÁLISE CRÍTICA...........................................................................................3
2.1 Biografia.......................................................................................................3
2.2 Paráfrase ......................................................................................................3
2.3 Análise intrínseca .......................................................................................5
2.3.1 Personagens ..............................................................................................5
2.3.2
…exibir mais conteúdo…
A rotina, o dia-a-dia dentro da casa é marcado pelas tarefas domésticas, presentes em diversas passagens do conto, representando uma excessiva preocupação em manter a casa limpa.
“Buenos Aires pode ser uma cidade limpa; mas isso é graças aos seus habitantes e não a outra coisa. [...]” (1) ( p.13-14) .
Alguns dias se passaram e o irmão, ao sair do quarto para buscar água, ouve novos ruídos vindos da cozinha ou do banheiro. Irene ao percebê-lo imóvel no corredor, foi ao seu encontro e ambos ficaram escutando e logo correram até a porta-persiana sem olhar para trás. O irmão fechou a porta-persiana e chegou à conclusão de que esta parte também havia sido tomada por presenças anônimas.
Assim como na primeira tomada, os personagens em nenhum momento se preocupam em verificar a causa dos ruídos, apenas se limitam a fechar as portas que dão acesso aos espaços de onde vinham os sons e se adaptar às novas limitações de espaço.
Sem poder mais conter os ruídos vindos dos espaços invadidos na casa, o irmão, apenas com as roupas do corpo e o relógio no pulso, abraçou Irene pela cintura e fugiram para a rua. Ele fechou a porta da entrada e jogou a chave no bueiro.

2.3 Análise intrínseca

O conto é narrado em primeira pessoa pelo personagem residente na casa, o irmão. “[...] Era para nós agradável almoçar pensando na casa ampla e silenciosa e em como nos bastávamos para mantê-la limpa. [...]” (p.11).

2.3.2 Personagens
No conto há apenas dois personagens que

Relacionados