Apocalípticos e integrados- cultura de massa e “níveis” de cultura (umberto eco)

1498 palavras 7 páginas
Fichamento: Apocalípticos e Integrados- Cultura de Massa e “níveis” de cultura. (Umberto Eco)

A memória não é mais um meio útil de guardar informações, tradições e simples recordações. Com o advento da escrita, todos esses arquivamentos tornam-se mais práticos e eternos. Além de que, ao transcrever uma experiência, por exemplo, as palavras podem ser arranjadas de tal forma que o leitor imagine e até sinta o que foi vivido contradição da fala de Sócrates, que trata o diálogo como um dado viciado (que da sempre o mesmo resultado).

A modificação dos instrumentos culturais representam, sempre, uma profunda crise do modelo cultural precedente. A apropriação e o aproveitamento desses instrumentos só podem ser compreendidas considerando-se uma humanidade modificada, tanto pelas causas que geraram os instrumentos como pela sua utilização.

Marshall MacLuhan- “o homem gutenberguiano”. Surgimento dos mass medias no período contemporâneo, transformado pelas inovações da Revolução Industrial, pelo novo ser e a nova organização social.

Acusações à cultura de massa:

Nietsche fala da cultura de massa como a “enfermidade histórica” e lista o jornalismo como uma doença. Não só ele, mas vários críticos (radicals americanos) das mass media tratam com nostalgia o assunto, desprezando (intolerância) tanto a nova cultura, quando a massa a quem ela se dirige. E criticam, propriamente, a massificação de valores, de mentalidades, de conhecimentos, em dissonância a uma época na qual

Relacionados

  • O kitsch ou a retorização da arte
    1449 palavras | 6 páginas
  • O kitsch e a cultura de massa.
    3373 palavras | 14 páginas