As estruturas econômicas da Idade Média

1662 palavras 7 páginas
A historiografia medieval baseou-se em dados qualitativos como tendências, indícios e características, que traduziam melhor a economia da época. Deixou a desejar, no entanto, no aspecto quantitativo, como temos na história econômica recente.
O período entre os séculos IV e X foi caracterizado pela pobreza demográfica, pequena produtividade agrícola e artesanal e retração do comércio e da economia monetária. Para a historiadora Renée Doehaerd esse fenômeno era a “escassez endêmica” e acontecia sobretudo pela baixa densidade demográfica. Ou seja, faltava mão-de-obra para a produção.
No setor primário a economia era a agrária dominial*, que funcionava a partir da divisão da área em duas partes. A primeira era explorada diretamente pelo senhor, por isso chamada de terra indominicata ou reserva senhorial. A segunda era o conjunto de pequenas explorações camponesas, a terra mansionaria ou mansus, que era subdividida entre mansi serviles (ocupados por escravos) e mansi ingenules (ocupados por camponeses livres). A terra era dividida em mansos de aproximadamente 15 hectares. Para morarem nas terras os camponeses entregavam algumas moedas e produtos aos senhores e pagavam a maior parte em serviços. Esse sistema favorecia os senhores, já que a mão-de-obra era escassa e eles não tinham dinheiro para pagar a todos. Por isso o autor diz que a prestação de serviço era a essência do regime dominial. “Graças a ela o senhor obtinha o necessário de sua terra, mobilizando em seu favor uma

Relacionados

  • A situação da mulher na idade média
    1208 palavras | 5 páginas
  • Bizâncio: a ponte da Antiguidade para a Idade Média de Michael Angold
    6784 palavras | 28 páginas
  • História da psicologia: Idade Antiga e Média
    1067 palavras | 5 páginas
  • Estruturas economicas da idade media
    1521 palavras | 7 páginas
  • Trabalho, Moradia e Uso da Terra na Idade Media
    989 palavras | 4 páginas
  • Papel da igreja catolica na idade media
    3086 palavras | 13 páginas
  • História da Educação - Alta Idade Média
    2288 palavras | 10 páginas