BEIRADA SECA

830 palavras 4 páginas
Beirada seca
Pingadeira é opção mais eficiente para afastar água de chuva da fachada, mas há recursos alternativos como bunhas, frisos e ressaltos. Conheça as diferenças entre os modelos
Thiago Oliveira
Edição 137 - Agosto/2008
Água só é interessante à construção durante o período de execução das obras. Concluídos os trabalhos, o líquido freqüentemente torna-se um empecilho. Em tempos chuvosos, acumulado nas fachadas de edifícios, por exemplo, provoca manchas e reduz a vida útil dos materiais. "A boa técnica sempre recomenda que se afaste o mais rápido possível as lâminas d´água que escorrem pelas fachadas", observa o pesquisador Ercio Thomaz, do Cetac/IPT (Centro Tecnológico do Ambiente Construído do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo).
O mecanismo mais eficaz remonta à instalação de pingadeiras sob os peitoris das janelas. Os peitoris em si podem ser pré-moldados ou fabricados no próprio canteiro, com concreto ou graute industrializado, em fôrmas metálicas. Por pingadeira em si compreende- se apenas a linha ranhurada, abaixo dos peitoris, que intercepta a lâmina d'água, resultando pingos que se projetam afastados da fachada.
Há que se atentar, porém, à natureza higroscópica dos materiais de construção. Areia, cimento, cerâmica, concreto, argamassa - todos têm uma atração molecular por água. "A retenção de umidade propicia o surgimento de fungos. Esses organismos expelem uma substância ácida que ataca cimento, cal, argamassa de revestimento,

Relacionados

  • secas no sertão nordestino
    1727 palavras | 7 páginas
  • Empanado de carne seca
    11237 palavras | 45 páginas
  • Vidas Secas
    849 palavras | 4 páginas
  • Lei Seca - Slide
    924 palavras | 4 páginas
  • análise capítulos vidas secas
    1522 palavras | 7 páginas
  • DEFESA ADMINISTRATIVA LEI SECA
    1382 palavras | 6 páginas
  • seca contra seca
    5169 palavras | 21 páginas
  • Mecanismos de resistência à seca
    3175 palavras | 13 páginas
  • Vidas secas
    1050 palavras | 5 páginas