Boa fé

11709 palavras 47 páginas
O PRINCÍPIO DA BOA-FÉ E OS NEGÓCIOS JÚRIDICOS IMOBILIÁRIOS
Paulo Ricardo Silva de Moraes
Advogado, Contador e Analista da Comissão de Valores Mobiliários; Pós-graduado “lato sensu” em Finanças e Gestão Corporativa pela Universidade Candido Mendes e Bacharel em
Ciências Contábeis, Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.
RESUMO
Analisa-se os reflexos do Princípio da Boa-Fé nos negócios jurídicos imobiliários. Para tanto, estuda-se, na primeira parte deste trabalho, a relação obrigacional como um processo complexo, considerando-se seus aspectos estático e dinâmico que, em conjunto, tornam possível a compreensão dos diversos “deveres” que compõem a relação tomada como uma totalidade concreta. Na segunda parte, estuda-se a boa-fé objetiva, distinguindo-a, inicialmente, da boa-fé subjetiva, para se adentrar, logo após, na análise de suas funções e dos reflexos destas no direito obrigacional e, particularmente, na responsabilidade pré-contratual.
Na terceira, e última parte, estuda-se, por fim, a incidência do regramento da boa-fé nos negócios imobiliários desvelados nas suas diversas fases.
Palavras-Chave: Princípio da Boa-Fé, Relação Obrigacional, Boa-Fé Subjetiva, Boa-Fé
Objetiva, Responsabilidade Pré-Contratual, Negócios Jurídicos, Negócios Imobiliários.
SUMÁRIO: 1. Introdução – 2. A Relação obrigacional como um processo complexo – 3. A boa-fé objetiva e a transfiguração do direito obrigacional – 3.1 A distinção entre boa-fé

Relacionados

  • Posse de boa fé x posse de má fé
    2476 palavras | 10 páginas
  • Boa-fé objetiva: desdobramentos e abuso de direito
    1811 palavras | 8 páginas
  • TEORIA DA SUPRESSIO E A BOA-FÉ PROCESSUAL
    14144 palavras | 57 páginas
  • Boa-fé e o processo de execução
    920 palavras | 4 páginas
  • Direito das coisas - espécies de posse
    4409 palavras | 18 páginas
  • A obrigação como processo
    4622 palavras | 19 páginas
  • Processo civil i
    2379 palavras | 10 páginas
  • Classificação da posse
    801 palavras | 4 páginas
  • Posse e propriedade
    998 palavras | 5 páginas