Conciliação em juízo: uma alternativa eficaz à resolução de conflitos no judiciário brasileiro.

5741 palavras 23 páginas
1. INTRODUÇÃO

A conciliação tem se consolidado no Brasil, enquanto método alternativo de resolução de conflitos, em especial a partir do ano de 2006, e graças ao chamado movimento pela conciliação criado pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça). Os desdobramentos, conseqüências, pontos positivos e negativos desencadeados por este programa e a análise de seus resultados no cenário do Judiciário brasileiro são os pontos mais relevantes a serem discutidos e analisados pelo presente trabalho. A evidência dada à conciliação na história recente do Judiciário brasileiro origina-se do movimento pelo acesso à justiça ( este que pretende desafogar a justiça através de práticas alternativas e que conferem maior celeridade na resolução das demandas) deve-se a ineficiência do Poder Judiciário em prestar tutela jurisdicional adequada às demandas que lhe são apresentadas. Tendo em vista a morosidade e a ineficiência da prestação jurisdicional a sociedade reclama por soluções mais rápidas e efetivas na resolução de seus conflitos. Neste contexto destacou-se a tendência à promoção da prática conciliatória na busca de resoluções alternativas. A conciliação pode prevenir não só o exercício de uma atividade jurisdicional ampla para a solução de um litígio, mas evitar que outros surjam em virtude do mesmo fato, em razão da insatisfação dos envolvidos ou do próprio descumprimento da decisão judicial proferida. A ampliação da efetividade da atividade conciliatória

Relacionados

  • Meios alternativos de pacificação social
    2008 palavras | 9 páginas
  • A possibilidade de aplicação da arbitragem nas relações de família, sucessões e consumo segundo o direito brasileiro
    14123 palavras | 57 páginas
  • Aps
    11557 palavras | 47 páginas
  • Instituições judiciárias e ética
    7960 palavras | 32 páginas
  • Conceito de processo do trabalho
    9115 palavras | 37 páginas
  • Trafico de armas drogas e violencia
    6900 palavras | 28 páginas
  • Polianna Ramos De Moraes Rocha RA 20815200
    15984 palavras | 64 páginas
  • A ATUAÇÃOJUDICIAL NO COMBATE À SINDROME DA ALIENAÇÃO PARENTAL
    12586 palavras | 51 páginas
  • Mono
    19425 palavras | 78 páginas