Crises e Crises Estruturais do Capital

964 palavras 4 páginas
Crises e Crises Estruturais do Capital
O desenvolvimento do capitalismo se constitui e fortalece a partir do comando da produção capitalista, em que perpassa por varias crise econômicas de 1825 as vésperas da segunda guerra mundial que se expandiu no total de 14 crises. No período de alargamento da produção é moderados por depressões que se caracterizam por falências, quebras de mercado, desemprego e miséria aos trabalhadores. As crises mais localizadas começaram na Inglaterra, 1847-1848 se expandiu mundialmente, com conseqüências mais graves em 1929, logo após da segunda guerra foram políticas implantadas macroeconômicas como também instituições nacionais e supranacionais , tendo como objetivo diminuir os impactos das crises. Apesar de novas dimensões atribuídas ao papel do Estado no a frente do desenvolvimento econômico o capitalismo continuou alterando prosperidade e repressões a alienação.
A crise não pode ser considerada um acidente de percurso e nem aleatória é o afirma a análise teórica e histórica do MPC. “A contradição do capitalismo esta acentuada nas crises, não existiu, não existe e não existirá capitalismo sem crise”. (NETTO,BRAZ, 2007,pg.157) Ela é constitutiva do capital onde o mesmo controla a humanidade e em quanto houver capitalismo haverá crises, isto não significa que a crise seja natural como a burguesia coloca em sua ideologia que transfere as causas das crises a um

Relacionados

  • Formação econômica do brasil – capítulo 30-32 - celso furtado
    1304 palavras | 6 páginas
  • Resumo - a crise mundial do capitalismo
    1424 palavras | 6 páginas
  • CRISE CAMBIAL DE 1999
    2378 palavras | 10 páginas
  • Resenha crítica: estado, classe e movimento social
    989 palavras | 4 páginas
  • RESPOSTA DE ECONOMIA E MERCADO 3 SEMESTRE UNIP
    1394 palavras | 6 páginas
  • Prova Anpec 2014/2015
    3593 palavras | 15 páginas
  • Libertação economica
    1378 palavras | 6 páginas
  • Debate teórico dos novos movimentos sociais
    2680 palavras | 11 páginas
  • Despotismo de fábrica e suas consequências
    2397 palavras | 10 páginas