Cromofobia

842 palavras 4 páginas
Texto: BATCHELOR, David. “Cromofobia”. 1° Edição – São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2007.

Cromofobia, um medo de corrupção ou de contaminação através da cor, tem sido um fenômeno cultural desde tempos antigos gregos. Este livro está preocupado com as suas manifestações modernas e comtemporânes, bem como com a resistência a ela na arte.

O argumento central de Cromofobia é que um impulso cromofóbico se esconde dentro da cultura ocidental. É evidente nas muitas tentativas de marginalizar cor, seja fazendo-a produto de algum corpo estranho ou relegando-a para o reino do superficial, complementar, o não-essencial, ou o cosmético, que é em muito dos casos, a mesma coisa. Críticos costumam ignorar ou negar a sua presença e significado.

Neste estudo, David Batchelor busca analisar as motivações por trás desse medo. _______________________________________________________________

Capítulo I: Paisagens em branco

No primeiro capítulo de seu livro, Batchelor nos coloca diante da concepção que o ocidente tem do branco e da sua relação com o divino, com o belo, com o puro, e com sua frequente descategorização como cor, como se branco e cor fossem opostos, algo visto como um erro para o autor.

Batchelor defende claramente a ideia de que branco é sim uma cor, que não podemos desconsidera-lo, e desassocia-o da ideia de que o branco é minimalista. O minimalismo fez o uso do branco, mas sem que o branco perdesse sua função de cor.

Além das dissertações acerca da

Relacionados

  • Cromofobia
    808 palavras | 4 páginas