Cronica de uma morte anunciada

1451 palavras 6 páginas
O livro que eu escolhi para fazer a minha ficha de leitura foi a “crónica de uma morte anunciada”, de Gabriel García Márquez.
"Crónica de uma morte anunciada" é um livro que se lê numa tarde, é interessante e está muito bem escrita.
O título da obra não podia ser mais explícito. Esta obra é uma crónica, uma crónica baseada em acontecimentos passados em meados do século XX, na Colômbia rural. Estruturada como uma investigação jornalística, a obra narra a história do assassinato de Santiago Nasar, injustamente acusado por Ângela Vicário de a ter desonrado. Num quebra-cabeças envolvente cujas peças vão se encaixando pouco a pouco através da superposição das versões de testemunhas que estiveram próximas ao protagonista. É a história do
…exibir mais conteúdo…
Sedutor, culto, adepto da caça de altanaria, é apreciador de cavalos, armas e, claro, aves de presa. Já na aparência, Nasar assume o aspecto físico muito semelhante ao do autor – vestia um fato de linho lavado só com água por não suportar o estalar da goma em contacto com a pele, cabelos crespos e pálpebras árabes. Mas o que mais impressiona nesta personagem é a sua extrema solidão, característica comum a todos os heróis da ficção de García Márquez, tal como o próprio autor se encarrega de frisar em O Aroma da Goiaba. Nasar, apesar de sociável - tem amigos e um considerável número de pessoas que o estimam -, pauta a sua conduta por uma quase que excessiva reserva, uma independência de movimentos, constituída por um conjunto de atividade solitárias que levam a que as pessoas o deixem cultivar o prazer da sua solidão, da sua redoma, onde só cabe aquilo que comporta a sua imaginação. E é precisamente esta característica que o torna vulnerável e que faz com que passe ao lado de todas as tentativas levadas a cabo pelos outros para impedirem a sua morte: o seu alheamento, por um lado, e a indiferença dos menos íntimos a quem os mais chegados delegaram alguma tarefa no sentido de lhe fazerem chegar a informação.

Já Bayardo San Román, o anti-herói, é uma personagem que, desde o início, desperta a desconfiança de todos. Forasteiro e com um passado nebuloso envolto em mistério, provoca a

Relacionados

  • Pena de morte no Brasil
    1012 palavras | 5 páginas
  • pré projeto tcc :A CONCESSÃO DE PENSÃO POR MORTE NA UNIÃO HOMOAFETIVA: UMA VISÃO EVOLUTIVA DO DIREITO
    2804 palavras | 12 páginas
  • A morte e a morte de quincas berro d'agua
    2224 palavras | 9 páginas
  • Para Gostar de Ler Cronicas 3
    10031 palavras | 41 páginas
  • argumentos: pena de morte
    4296 palavras | 18 páginas
  • Tipos de Crônica
    1653 palavras | 7 páginas
  • Crônicas de Rubem Braga
    14863 palavras | 60 páginas
  • A MORTE COMO FORMA DE LIBERTAÇÃO: uma análise do conto A Lamb to slaughter
    5952 palavras | 24 páginas
  • TIPOS DE MORTE
    916 palavras | 4 páginas