Depressão pós-parto

8230 palavras 33 páginas
Estudos de Psicologia 2003, 8(3), 403-411 403

O impacto da depressão pós-parto para a interação mãe-bebê 1
Daniela Delias de Sousa Schwengber Cesar Augusto Piccinini
Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo
O presente artigo examina algumas questões teóricas e estudos empíricos a respeito do impacto da depressão pós-parto para a interação mãe-bebê. Analisam-se as características da depressão pós-parto e fatores de risco associados à sua ocorrência. Discutem-se, em particular, as repercussões do estado depressivo da mãe para a qualidade da interação com o bebê e, conseqüentemente, para o desenvolvimento posterior da criança. Os estudos revisados sugerem que a depressão pós-parto afeta a qualidade da interação mãe-bebê,
…exibir mais conteúdo…

Características da depressão pós-parto e fatores associados à sua ocorrência
O nascimento de um bebê, principalmente em se tratando do primeiro filho, tem sido considerado por diversos autores como um evento propício ao surgimento de problemas emocionais nos pais, como depressões, psicoses pós-parto e manifestações psicossomáticas (Klaus et al., 2000; Maldonado, 1990; Szejer & Stewart, 1997). A depressão comumente associada ao nascimento de um bebê refere-se a um conjunto de sintomas que iniciam geralmente entre a quarta e a oitava semana após o parto, atingindo de 10 a 15% das mulheres. Esses sintomas incluem irritabilidade, choro freqüente, sentimentos de desamparo e desesperança, falta de energia e motivação, desinteresse sexual, transtornos alimentares e do sono, a sensação de ser incapaz de lidar com novas situações, bem como queixas psicossomáticas (Klaus et al., 2000). Os distúrbios do humor que caracterizam o período pósparto incluem também a melancolia da maternidade (baby blues) e as psicoses puerperais (Souza, Burtet, & Busnello, 1997). O primeiro quadro, que se caracteriza por um distúrbio de labilidade transitória de humor, atinge cerca de 60% das novas mães entre o terceiro e o quinto dia após o parto, porém geralmente tem remissão espontânea. Já as psicoses puerperais apresentam sintomas acentuados, os quais freqüentemente requerem tratamento intensivo e, por vezes, hospitalização. A

Relacionados

  • Depressão pós parto.
    6063 palavras | 25 páginas
  • Depressão pós-parto
    1692 palavras | 7 páginas
  • O nascimento e o recém nascido
    5128 palavras | 21 páginas
  • Resumo do livro psicologia da gravidez
    886 palavras | 4 páginas
  • Enfermagem
    6621 palavras | 27 páginas
  • Estudo de caso sobre esquizofrenia
    3440 palavras | 14 páginas
  • IMPUTABILIDADE, SEMI-IMPUTABILIDADE E INIMPUTABILIDADE; INCAPACIDADE RELATIVA E PLENA, PSICOPATOLOGIAS
    6704 palavras | 27 páginas
  • DOULAS
    1174 palavras | 5 páginas
  • Resumo sobre analgésicos opióides
    3611 palavras | 15 páginas
  • Teratologia
    2640 palavras | 11 páginas