Direito Romano - Posse e Direito real sobre coisa alheia

808 palavras 4 páginas
Direito Romano Conceito de Posse Posse é quando alguém detém o poder de fato sobre uma coisa material, para os romanos a posse significa apreensão ou subordinação física de uma coisa por uma pessoa, a qual dela podia fazer o que fosse de sua vontade, como se dela fosse o proprietário.
Curiosidade: O vocábulo pose vem de pos-sedere “poder fixa-se sentar-se em uma coisa”. Elementos da posse No direito romano para que a posse fosse legalmente protegida fazia-se necessário que dois elementos:

a) Corpus – O objeto físico b) Animus- Animo, intenção de possuir a coisa Modalidades de posse

a) Posse natural (possessio naturalis): Detenção da coisa, sem a intenção de tê-la para si. Exemplo: Depositário de uma coisa que a guarda paro o depositante. b) Posse civil (possessio civilis): A posse que se fundamentava em atos jurídicos. O detentor desse tipo de posse pode recorrer em juízo o direito à propriedade sobre o objeto através da usucapião, uma vez que prove a detenção da “coisa” por um determinado tempo e sua intenção de ser o verdadeiro proprietário. c) Posse pelos interditos (possessio ad interdicta): O possuidor mantinha posse da coisa, mas sem a intenção de torna-se dela o seu proprietário. Justiniano convencionou-se em reduzir apenas para as duas primeiras modalidades. Aquisição da posse No inicio podia adquirir a pose de uma coisa pessoalmente pela apreensão direita e material do objeto. Com o correr do tempo foram

Relacionados

  • Trabalho sobre historia do direito romano
    1441 palavras | 6 páginas
  • Referente ao parentesco no Direito Romano Antigo e no Direito Romano Moderno
    1126 palavras | 5 páginas
  • Coisa Conceito E Classifica O Direito Romano 2
    2522 palavras | 11 páginas
  • Direito das coisas - espécies de posse
    4409 palavras | 18 páginas
  • Resumo direitos reais sobre coisas alheia
    6954 palavras | 28 páginas
  • Direito Romano e suas fases
    5832 palavras | 24 páginas
  • DIREITO ROMANO E SUA INFLUÊNCIA
    11432 palavras | 46 páginas
  • Direitos reais sobre coisas alheias
    963 palavras | 4 páginas
  • Dreitos reais de gozo e fruição sobre coisa alheia
    3670 palavras | 15 páginas
  • Direito Grego e Direito Romano
    3066 palavras | 13 páginas