FLORBELA ESPANCA

3069 palavras 13 páginas
UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS- DCHT
CAMPUS XXII- EUCLIDES DA CUNHA- BAHIA
DOCENTE: ANDREA MASCARENHAS DISCIPLINA: CANÔNES E CONTEXTOS NA LITERATURA PORTUGUESA

FLORBELA ESPANCA: UMA MULHER A FRENTE DO SEU TEMPO
Jaynne Santos de Jesus1
Juliete de Oliveira Silva2

RESUMO: Florbela Espanca foi considerada umas das vozes femininas mais expressivas do seu tempo, sua poesia foi considerada polifônica por abarcar uma multiplicidade de vozes sociais. Este trabalho tem por objetivo revisar as obras publicadas de Florbela Espanca e o feminismo presente na mesma, bem como as obras de Gilka Machado, outra escritora feminista do século XX. Para isso usamos os pensamentos de autores como
…exibir mais conteúdo…
Podemos perceber isso mais claramente em seu poema “O nosso mundo”:
“Ávida, eu Amor, quero vivê-la!/ Na mesma taça erguida em tuas mãos,/ Bocas unidas hemos de bebê-la!/ Que importa o mundo e as ilusões defuntas?.../ Que importa o mundo e seus orgulhos vãos?.../ O mundo, Amor!... As nossas bocas juntas!...” (ESPANCA, 1996, p. 182)

Florbela passou por três divórcios, e teve sua vida marcada também pelo adultério, passou a vida a amar e esquecer (ESPANCA, 1923). Com tantas decepções ainda chegou a afirmar que: “[...] contento-me em desprezar quase todos, odiar alguns, estimar raros e amar um”. (ESPANCA, Cartas, s.d. grifos nossos). Através dessas palavras, dessas posições tomadas através de sua obra, Florbela confronta a moral sexual de sua época.
Renata Bonfim diz em seu artigo publicado na revista crioula que, em uma sociedade em que a igreja católica pregava um amor eterno, com a famosa frase “até que a morte os separe”, Florbela era tida como uma poetisa maldita, pois trazia em suas poesias uma negação e uma descrença no amor que dura pra sempre. A mesma afirmou em sua obra “Amar” que:
“Eu quero amar, Amar perdidamente!/ Amar só por amar: Aqui...além... / Mais Este e Aquele o outro e toda a gente... / Amar! Amar! E não amar ninguém! [...] Recordar? Indiferente!... / Prender ou desprender? É

Relacionados