Gil Vicente e a intertextualidade

3287 palavras 14 páginas
Gil Vicente: A Intertextualidade Bíblica
A Bíblia, por seu valor religioso, moral, filosófico, histórico, simbólico e em grande parte, poético, tem-se constituído uma das principais leituras da comunidade judaico-cristã, uma das mais decisivas mentoras da civilização ocidental e uma das mais poderosas influências do pensamento de estudiosos e escritores dessa civilização. À Bíblia recorrem crentes e ímpios, os interessados na mensagem divina ou no saber humano.
(Linhares Filho)

A leitura e o estudo das obras literárias de Gil Vicente não deixam dúvida de que este autor refere-se a diversos textos bíblicos para a elaboração e composição de suas peças.
Suas preocupações com a moralidade, com a sociedade e até mesmo com as autoridades religiosas são reveladas ao leitor através de diversas referências à Bíblia que Gil Vicente faz de maneira inteligente e bem elaborada. Essa intertextualidade, aliás, faz-se notoriamente presente em grande parte das obras literárias medievais portuguesas. Mário
Martins, em seu livro A Bíblia na Literatura Medieval Portuguesa, faz o seguinte comentário: E sentimos a Bíblia nas suas entranhas [literatura], mesmo quando a não enxergamos à tona da água.
Para o estudo inicial dessa intertextualidade bíblica, torna-se relevante e esclarecedor um breve estudo deste importante conceito dentro da teoria literária. Julia
Kristeva, que inventou o termo intertextualidade, diz que qualquer texto se constrói como um mosaico de

Relacionados

  • O nacionalismo brasileiro representado no movimento tropicalista por: caetano veloso e gilberto gil
    3211 palavras | 13 páginas
  • Intertextualidade no Navio Negreiro
    965 palavras | 4 páginas
  • Intertextualidade
    15363 palavras | 62 páginas
  • Centro automotivo gil
    5590 palavras | 23 páginas
  • A Intertextualidade nos contos
    2275 palavras | 10 páginas
  • 1 INTERTEXTUALIDADE
    900 palavras | 4 páginas
  • Intertextualidade entre Textos
    1841 palavras | 8 páginas
  • A ARTE CONDOREIRA NA RELAÇÃO ENTRE AS FOTOS DE SEBASTIÃO SALGADO E A MÚSICA “HAITI”, DE CAETANO VELOSO E GILBERTO GIL
    1329 palavras | 6 páginas
  • Reflexões e intertextualidade entre o filme “A pele que habito” de Pedro Almodóvar e as obras da artista francesa Louise Bourgeois.
    1360 palavras | 6 páginas
  • UMA ANÁLISE DOS ASPECTOS DE INTERTEXTUALIDADE NA ADAPTAÇÃO CINEMATOGRÁFICA DE “MALÉVOLA”
    2163 palavras | 9 páginas