Hipocalcemia em ruminantes

1860 palavras 8 páginas
Hipocalcemia em ruminantes Alunos: Fernando Fabrízio
Leilane Carmona Pereira
Matheus Lóes
Pedro Henrique de Jesus
Professora: Zaeida

ÍNDICE
1. INTRODUÇÃO .............................................................................. pg. 2

2. DESENVOLVIMENTO
2.1. Etiologia .................................................................................. pg. 3
2.2. Sinais clínicos ......................................................................... pg. 4
2.3. Achados Laboratoriais ............................................................ pg. 5
2.4. Diagnóstico ............................................................................. pg. 6
2.5. Tratamento
…exibir mais conteúdo…
Em vacas mais velhas, a desmineralização óssea, próximo ao parto, é mais reduzida do que nas novilhas. Além disso, um importante mecanismo que o organismo lança mão para manutenção dos níveis de cálcio é o aumento da absorção intestinal desse íon.
Na vaca, o número de receptores intestinais declina com a idade e assim, as vacas mais velhas tornam-se menos hábeis para responder ao hormônio, havendo necessidade de um tempo mais longo para adaptação dos mecanismos intestinais para absorção de cálcio.
Outros fatores intrínsecos aos animais são o tipo e a raça. Os fatores ambientais influenciam tanto no aparecimento quanto na manutenção e recidiva da Hipocalcemia num determinado rebanho. Dentre estes fatores ambientais, o manejo nutricional e a composição da dieta alimentar para vacas leiteiras no pré-parto são muito significativos para a ocorrência da doença.

3

2.2 Sinais Clínicos
Pode ocorrer desde cerca de 24h antes até 72h após o parto. Os sinais iniciais incluem inquietação, excitabilidade e anorexia. Vacas nesse estágio protraem suas línguas quando estimuladas ao redor da cabeça. Perde-se gradualmente a capacidade de regular a temperatura central, então a temperatura retal irá depender do ambiente. As contrações ruminais podem ficar fracas ou até mesmo ausentes. Desenvolvimento de uma fraqueza muscular esquelética por várias horas. Normalmente encontram-se caídas e incapazes de se levantar. Há aumento da freqüência cardíaca e ocorre

Relacionados

  • 12 PATOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR DA FEMEA
    2214 palavras | 9 páginas
  • Tétano em equinos
    5594 palavras | 23 páginas