LER DEVIA SER PROIBIDO: UMA ANÁLISE DAS RELAÇÕES DE GÊNEROS TEXTUAIS, DOS ATOS DE FALA E DAS CONCEPÇÕES DE LÍNGUA, SUJEITO E TEXTO.

2996 palavras 12 páginas
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
INSTITUTO DE LETRAS
GÊNEROS TEXTUAIS EM LÍNGUA PORTUGUESA

ANA CLAÚDIA DE JESUS

LER DEVIA SER PROIBIDO: UMA ANÁLISE DAS RELAÇÕES DE GÊNEROS TEXTUAIS, DOS ATOS DE FALA E DAS CONCEPÇÕES DE LÍNGUA, SUJEITO E TEXTO.

Salvador
2009

ANA CLAÚDIA DE JESUS

LER DEVIA SER PROIBIDO: UMA ANÁLISE DAS RELAÇÕES DE GÊNEROS TEXTUAIS, DOS ATOS DE FALA E DAS CONCEPÇÕES DE LÍNGUA, SUJEITO E TEXTO.

Salvador
2009
LER DEVIA SER PROIBIDO: UMA ANÁLISE DAS RELAÇÕES DE GÊNEROS TEXTUAIS, DOS ATOS DE FALA E DAS CONCEPÇÕES DE LÍNGUA, SUJEITO E TEXTO.

O presente ensaio se propõe a analisar o texto “Ler devia ser
…exibir mais conteúdo…
Na verdade, como bem defende alguns lingüistas, entre eles, Marcuschi, não existem novos gêneros em absoluto. Os novos gêneros, em geral, surgem a partir de outros gêneros já existentes, e se originam não das tecnologias, mas do uso que se faz delas.
Ao falar de gêneros textuais não podemos deixar de citar os tipos textuais, uma distinção de grande complicação técnica segundo Marcuschi. Embora o termo tipo textual seja empregado erroneamente em muitos livros didáticos, a concepção contemporânea de tipo dada pelo autor (2007, p. 22) é aquela usada “para designar uma espécie de seqüência teoricamente definida pela natureza lingüística de sua composição (aspectos lexicais, sintáticos, tempos verbais, relações lógicas)”. Com isso, os tipos textuais têm como designação teórica de narração, argumentação, descrição, injunção e exposição. Na obra em questão, encontra-se muito o tipo textual argumentativo. Após fazer uma afirmação como “Ler pode provocar o inesperado” (l.19), a autora expõe seus argumentos para corroborar o pensamento apresentado.
Dessa forma, o texto em análise “Ler devia ser proibido”, publicado no jornal Correio do Brasil em 13 de abril do corrente ano, portanto, uma divulgação atual e de circulação ampla, é um artigo de opinião. Escrito em terceira pessoa, este gênero textual caracteriza-se por ser um texto em que o autor expõe seu posicionamento diante de algum tema. Em geral tem como

Relacionados