LINGUAGEM E PODER: A ESTIGMATIZAÇÃO LINGUÍSTICA NO BRASIL

6233 palavras 25 páginas
LINGUAGEM E PODER: A ESTIGMATIZAÇÃO LINGUÍSTICA
NO BRASIL
CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PORTUGUÊS/ LITERATURA
Orientador: Profº Dr. Ricardo
Clarice Machado Neta Antunes
Diego Silveira Serra
Edjane Santana da Silva Barboza1

RESUMO
A formação do povo brasileiro destaca-se pela sua miscigenação, a qual contribuiu para a formação das variações linguísticas encontrada atualmente no Brasil. Verificando essa heterogeneidade que a nossa língua contém no sentido das variações linguísticas, assim possibilita que a língua esteja em constante transformação.
Por exemplo, algumas palavras perdem ou ganham fonemas, outras deixam de serem utilizadas, novas palavras surgem, de acordo com as necessidades, entre elas os empréstimos de outras línguas com as quais mantém contato. Observamos que neste ponto o Brasil ainda tem mantido e persistido na estigmatização linguística.
Sendo assim, este artigo foi elaborado com intuito de analisarmos as manifestações lingüísticas e seus tipos
(diatópica, diafásica, diastrática e diacrônica) e relacioná-las com a questão da discriminação lingüística no convívio da sociedade brasileira, percebe-se que essas variações apresentadas no uso da língua ocorrem por diferentes razões: a classe social a que pertence, regionais, profissionais, grau de escolaridade, gênero e idade, são fatores relevantes para justificar as variações linguísticas vinculada a estigmatização linguística em nosso país. PALAVRAS CHAVES – LÍNGUA - VARIAÇÕES LINGUÍSTICA–

Relacionados

  • Resumo a língua de eulália
    9883 palavras | 40 páginas
  • A aquisição da lingua brasileira de sinais (libras) pela familia do surdo
    16685 palavras | 67 páginas
  • LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS
    4903 palavras | 20 páginas
  • História da Umbanda em Alegrete-RS
    4869 palavras | 20 páginas
  • INCLUSÃO DE PESSOAS ESPECIAIS NAS ESCOLAS
    10731 palavras | 43 páginas