Memórias de um sargento de milícias

1739 palavras 7 páginas
Memórias de um sargento de milícias

Contexto histórico- Memórias de um Sargento de Milícias é uma das obras mais singulares da Literatura brasileira. Escrita nos primórdios do gênero romanesco entre nós, surge logo após as experiências de Teixeira e Sousa – O Filho do Pescador (1843) –, e Joaquim Manuel de Macedo – A Moreninha (1844). Isso explica alguns traços primitivos de seu estilo e de sua estrutura. Trata-se de um romance de humor popular, baseado nas aventuras de tipos humanos bem característicos da sociedade carioca do começo do século XIX. O humor explorado por Manuel Antônio de Almeida é o mesmo das peças de Martins Pena, o maior dramaturgo do Romantismo brasileiro, autor de O Noviço – encenada em 1845, sete anos antes da
…exibir mais conteúdo…

A parteira - a comadre - e o barbeiro - 'de defronte' foram os padrinhos do herói, que passa junto aos pais os primeiros anos da infância. Leonardo-Pataca, que se tornara meirinho, confirma certo dia as suspeitas de que sua mulher não mantinha a mesma fidelidade que durante a viagem. Em conseqüência, briga com ela, expulsa de casa o garoto com um enérgico pontapé e sai em busca de consolo. Ao retornar à tarde, em companhia do compadre e padrinho do menino, é informado de que Maria-da-Hortaliça, saudosa da pátria, tinha fugido e embarcado novamente, rumo a Portugal, a convite do capitão de um navio que partira pouco antes. Logo a seguir, Leonardo-Pataca vai viver com uma cigana, que, por sua vez, também o abandona. Enquanto isso, Leonardo, o filho, adotado pelo padrinho, que muito se afeiçoara a ele, vai crescendo e a cada dia se revela mais briguento e travesso, prenunciando futuros envolvimentos com o famoso major Vidigal, que era o terror de todos os malandros e baderneiros da época. O padrinho, com infinita paciência, tenta encaminhar o menino na prática da religião para qual este não revela grandes pendores. Coloca-o na escola e o ensina a ajudar a missa. Se na escola se revela um péssimo aluno e colega, na Igreja da Sé, onde consegue ser sacristão, vê a melhor oportunidade para grandes travessuras, como o experimenta o mestre-de-cerimônias. Este, um padre de meia idade, virtuoso por fora, mas bastante diferente por dentro, envolve-se com uma cigana, a mesma, aliás,

Relacionados

  • Memorias de um sargento de milicias.
    1676 palavras | 7 páginas
  • Roteiro da Peça/Livro “Memórias de um Sargento de Milícias”
    3104 palavras | 13 páginas
  • Resenha crítica da obra " memórias de um sargento de milícias"
    711 palavras | 3 páginas
  • Resenha comparativa entre til e memórias de um sargento de milícias
    1212 palavras | 5 páginas
  • Memórias de um sargento de milícias: nem romantico nem realista
    4056 palavras | 17 páginas
  • Análise do romance “memórias de um sargento de milícias” de Manuel Antônio de Almeida
    2943 palavras | 12 páginas
  • Análise dos romances “Tom Jones” de Henry Fielding e “Memórias de um Sargento de Milícias” de Manuel Antônio de Almeida
    1578 palavras | 7 páginas
  • Principais aspectos das obras de martins pena
    2499 palavras | 10 páginas
  • Questões auto da barca (consulta)
    869 palavras | 4 páginas