O Estado em Thomas Hobbes "resumo"

3226 palavras 13 páginas
O HOMEM ARTIFICIAL

O homem artificial “estado” diz Hobbes ser uma criação humana assim como qualquer máquina, por isso no nome de “artificial”.
Hobbes também denomina a política e a ética como ciências demostráveis pois todos os seus princípios, causas, leis e pactos que as envolvem são todos criados pelo homem.
O pensamento renascentista, que influenciou Hobbes fala que a natureza é como uma grande máquina, “penetrar em seu segredo quer dizer atingir a compreensão das leis que regulam seu mecanismo. Mas, uma vez descoberto esse segredo, o homem é capaz não apenas de imitar a natureza, mas também de recriá-la, de aperfeiçoá-la de acrescer-lhe a potência, construindo outras máquinas”. Uma destas máquinas criadas para suprir as deficiências da natureza, para Hobbes seria o estado.
A “introdução” ao leviatã, autêntico manifesto da teoria de Hobbes sobre o estado começa assim: “A natureza, ou seja, a arte com qual deus fez e governa o mundo, tal como muitas outras coisas, também nesta é imitada pela arte do homem que pode construir um animal artificial”.
Depois de afirmar que a arte humana poderia imitar até a natureza, Hobbes explica: “Com a arte criou-se aquele grande Leviatã chamado de estado, que não é outra coisa senão um homem artificial”
Instituir o estado, o mais brilhante e complicado dos engenhos, o que lhes permite viver na natureza nem sempre amiga, foi a obra prima do homem.

ESTADO DE NATUREZA

Para justificar a criação deste homem artificial e a

Relacionados

  • Que correntes de pensamento explicam a vocação do Homem para viver em sociedade
    1075 palavras | 5 páginas
  • POLÍTICA, PODER E ESTADO: As Teorias de Hobbes, Locke e Maquiavel
    3880 palavras | 16 páginas
  • Trabalho teoria geral do estado
    2202 palavras | 9 páginas
  • Portifólio Individual II semestre de História unopar - Escravidão e trabalho compulsório
    1764 palavras | 8 páginas
  • Panoptico
    2709 palavras | 11 páginas
  • Trabalho de ciência politica. resumo do livro os classicos da politica
    4306 palavras | 18 páginas
  • Contratualismo
    2242 palavras | 9 páginas