O enfermeiro - Análise jurídica

1612 palavras 7 páginas
1 ESPINHA DORSAL DO TEXTO

Procópio José Gomes Valongo era “teólogo” e, em 1859, recebeu uma proposta de emprego para ser enfermeiro de um coronel rico e já idoso, O réu aceitou esse emprego e mudou-se para a casa do Coronel Felisberto onde ocorreu o crime, ou seja, onde Procópio matou o enfermo asfixiado, um ano após ter aceitado o emprego e, algum tempo depois, recebeu a herança da vítima por ser seu único herdeiro.

2 TESE DO GRUPO De acordo com os fatos estudados no texto, o grupo concluiu que o crime cometido por Procópio foi premeditado, com intenção de matar, visando à herança.

3 FUNDAMENTAÇÃO

Inicialmente, é de grande relevância ressaltar a importância do escritor em um texto, seja uma carta, narração, dissertação, ou qualquer outro tipo de escrita. É o autor quem apresenta os fatos ao leitor , que não teve acesso aos acontecimentos e é obrigado a tornar verdadeiro aquilo que está escrito. O narrador pode manipular os fatos, brincar com palavras e seus sinônimos, tentando sempre tendenciar o leitor a acolher o seu posicionamento. Nesse caso, quem escreve a carta de confissão (o próprio Procópio a descreve assim no 11º parágrafo, última e penúltima linhas) é um suposto réu, que cometeu um provável homicídio doloso, e é isso que será provado no decorrer do texto que, mesmo com todos os recursos usados pelo autor para amenizar sua culpa, seus deslizes foram vários e ali serão revelados.
Já no primeiro parágrafo é percebido certo receio em relação à

Relacionados

  • Resenha argumentação juridica
    1519 palavras | 7 páginas
  • Atuação do enfermeiro no ensino técnico
    11152 palavras | 45 páginas
  • O papel do enfermeiro na equipe multidisciplinar
    2763 palavras | 12 páginas
  • Analise Juridica das contribuições sindicais
    3311 palavras | 14 páginas
  • Relação juridica
    3469 palavras | 14 páginas
  • Analise juridica filme risco duplo
    1812 palavras | 8 páginas
  • Resenha do conto o enfermeiro
    917 palavras | 4 páginas
  • Sanção juridica
    1296 palavras | 6 páginas
  • argumentação juridica
    2650 palavras | 11 páginas