Posicionamentos antagônicos sobre os efeitos do comércio exterior no meio ambiente.

911 palavras 4 páginas
Introdução:

Os efeitos do comércio exterior no Meio Ambiente podem ser interpretados como positivos ou negativos dependendo da visão de mundo e da ótica de desenvolvimento, em defesa de interesses políticos, econômicos, ambientais e sociais tanto das partes negociantes quanto das instituições não governamentais representativas do Meio Ambiente e do comércio exterior.

O debate sobre o efeito do comércio exterior e o meio ambiente foi iniciado há muitos anos e tem ganhado crescente importância no cenário mundial em função, justamente, de uma provável insustentabilidade ambiental. Esta questão se tornou mais complexa após a globalização das economias e o aumento dos fluxos comerciais a partir dos anos 90, tendo em vista que o aumento das exportações, principalmente dos países em desenvolvimento, não significou a redução da pobreza nem maior proteção aos ecossistemas. A partir desse marco é possível identificar a necessidade de fortalecer o quão fundamental é associar os efeitos do comércio exterior, sejam eles positivos ou negativos, aos desafios para alcançarmos o Desenvolvimento Sustentável.

Justificativa:
O tema comércio exterior é extremamente pertinente à área de desenvolvimento sustentável, já que não se pode dizer que o primeiro é nocivo ao meio ambiente nem que o desenvolvimento é o vilão dos recursos naturais, mas sim a eficiência com que eles são geridos que os tornam ameaças ou soluções.

Desenvolvimento:
Comércio é troca de bens e serviços entre

Relacionados

  • As principais razões para a existência de posicionamentos tão antagônicos sobre os efeitos do comércio exterior no meio ambiente
    1446 palavras | 6 páginas
  • As principais implicações do comércio exterior na temática socioambiental
    868 palavras | 4 páginas
  • Apostila de geopolítica
    18951 palavras | 76 páginas
  • AMAMOTO, Marilda Vilela e CARVALHO, Raul de. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: esboço de uma interpretação histórico-metodológica. 2a. Ed. São Paulo: Cortez, 1983.PARTE II
    9654 palavras | 39 páginas
  • MONOGRAFIA DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO
    14999 palavras | 60 páginas