Reflexão fenomenológica do filme Instinto.

2183 palavras 9 páginas
Reflexão fenomenológica do filme “Instinto”.
O filme “Instinto”, com direção de Jon Turteltaub, relata a história de Ethan Powell, um antropologista que desaparece em uma de suas viagens a África e, ao ser encontrado após dois anos, é preso por reagir agressivamente e cometer assassinatos. Devido ao seu comportamento e as condições em que foi encontrado, passa a ser considerado “louco”, pois o encontraram vivendo e relacionando-se com um grupo de primatas na selva. É possível observar a percepção, quando Powell é taxado como “louco”, é a primeira impressão passada por ele, esta é a impressão que as pessoas tem. No texto podemos nos referir ao cubo como exemplo, pra mostrar às dimensões, e que a pessoa não é apenas a primeira impressão. “Quando vemos os lados diferentes de um cubo, quando experiênciamos vários aspectos de vários ângulos e por meio de vários perfis, é essencial para nossa experiência que percebamos toda essa multiplicidade como pertencendo a um mesmo cubo. Os lados, aspectos e perfis são apresentados para nós, mas neles todos um e o mesmo cubo está sendo apresentado. As diferentes camadas que experiênciamos são postas contra uma identidade que é dada continuamente em e por meio delas”. A identidade nunca se mostra como um lado, um aspecto ou um perfil, mas é ainda apresentada precisamente como a identidade em todos eles. Quando nos movemos em volta do cubo ou o giramos em nossas mãos, o fluxo contínuo de perfis é unificado por ser “de” um único cubo.

Relacionados

  • Dinamica de grupos
    9309 palavras | 38 páginas
  • O paradigma perdido a natureza humana
    12749 palavras | 51 páginas