Resenha - a apologia de sócrates

2045 palavras 9 páginas
Resenha de Filosofia – A Apologia de Sócrates. A Apologia de Sócrates é a versão de Platão de um discurso feito por Sócrates, mais precisamente a sua defesa perante o tribunal que o acabaria por condenar à morte devido aos crimes de corromper a juventude, não acreditar nos deuses e criar novos deuses. O texto começa com a afirmação de Sócrates de que seus acusadores não dizem verdade alguma, apesar de que, em alguns momentos, por tão convincentes que fossem e por se utilizarem tão bem da retórica, fizessem até o próprio Sócrates acreditar que podia ser culpado. Nesta afirmação está expressa a contraposição entre a sofística e a filosofia. Os acusadores de Sócrates seriam exemplos de sofistas, ou seja, pessoas que, sem se preocuparem …exibir mais conteúdo…
O filósofo afirma que, no entanto, não desistiu de sua busca, e essa é a razão de perambular por Atenas questionando os cidadãos sobre coisas que julgam que sabem: abrir seus olhos em relação à sua ignorância e, assim, torna-los homens melhores. Por causa disso, alega que vive em pobreza extrema, pois sua ocupação não lhe permite lazeres. Sócrates ainda alega que havia jovens que de espontânea vontade o acompanhavam, pois sentiam prazer em vê-lo em suas conversas com os atenienses, e até exerciam a mesma atividade. No entanto, os que eles examinavam se exasperavam contra o próprio filósofo, alegando que havia um moribundo chamado Sócrates a corromper a juventude. Como não tinham a coragem de explicar que a razão da acusação era passarem a conhecer a sua ignorância, afirmavam que Sócrates “pesquisa sem discrição o que existe sob a terra e nos céus”. Daí a razão de o atacarem. Passando a defender-se da acusação de Mileto, mais recente, Sócrates trava um extenso diálogo com o mesmo. A acusação é: “Sócrates é réu de corromper os jovens e de não acreditar nos deuses em que o povo acredita, e sim em outras divindades novas”. Durante o diálogo, Sócrates impele Meleto a concordar com aquilo que ele próprio apresenta e que, ao final, acaba voltando-se contra o acusador, concluindo que as denúncias são falsas e que Meleto só poderia estar a zombar dos presentes

Relacionados

  • Resumo Apologia de Sócrates Recentes
    3283 palavras | 14 páginas
  • personagens do IV e V livro a republica de platao
    1226 palavras | 5 páginas