Resenha do livro: as teorias da justiça depois de rawls

2424 palavras 10 páginas
As Teorias da Justiça depois de Rawls

O inicio do livro de tem como objetivo mostrar a teoria de Rawls. Para Rawls, a justiça deve ser considerada a primeira virtude das instituições sociais. Ele tenta ao longo do seu trabalho descrever quando podemos dizer que uma sociedade é efetivamente justa. Para isso, ele se contrapõe fortemente a algumas teorias, principalmente ao utilitarismo.
Uma das teorias a qual Rawls se opõe é o intucionismo, que pode ser caracterizado por duas marcas principais: de um lado a doutrina afirma haver a existência de uma pluralidade de princípios de justiça, que podem entrar em conflito entre si. E afirma, por outro lado, que não existe um método objetivo para determinar qual desses princípios deverá ser usado
…exibir mais conteúdo…
Surgem diversas críticas à teoria da justiça de Rawls, entre elas está à crítica feita por Nozick, que apesar de criticá-lo, tem uma grande semelhança com a sua teoria, como por exemplo o fato de ambos afirmarem que a existência de certos direitos básicos invioláveis, e que rejeitam a possibilidade de que os direitos de algum indivíduo sejam deturpados em favor do maior bem estar de outros. Os únicos direitos positivos consebíveis seriam aqueles que resultam das transações voluntárias entre as pessoas. A maior diferença entre os dois se dá ao fato de Ralws ser igualitarista e Nozick, liberalista. O que para Rawls representa um sistema institucional justo constitui, para Nozick, um sistema temível: para Nozick, quando parte do esforço de alguns é destinada a melhorar o destino dos outros, detrupa-se o princípio da autopiedade, a tal ponto que ganha sentido falar de uma nova forma de escravidão defendida em nome da justiça.
Dworkin procura mostrar que a concepção de Rawls falha tanto por tornar os indivíduos responsáveis por situações pelas quais não são responsáveis, como por não torná-los responsáveis por decisões que estão, sim, sob seu controle. Para Dworkin as características de uma concepção igualitária plausível são: as pessoas devem ter a possibilidade de iniciar suas vidas com iguais recursos materiais, devem ter igual possibilidade de se garantir contra eventuais desvantagens.
É aí então

Relacionados

  • RESENHA DO LIVRO: ESTADO GOVERNO SOCIEDADE: PARA UMA TEORIA GERAL DA POLÍTICA
    2032 palavras | 9 páginas
  • Resenha: Livro Cidadãos do mundo: para uma teoria da cidadania
    1829 palavras | 8 páginas
  • TGS - Teoria Geral de Sistemas Resenha do livro
    685 palavras | 3 páginas
  • Resenha livro o marketing depois de amanha
    991 palavras | 4 páginas
  • Resenha do capítulo 1 do livro "As Teorias da Comunicação - Da Fala à Internet"
    909 palavras | 4 páginas
  • Resenha do livro as consequências da modernidade, de anthony giddens
    5601 palavras | 23 páginas
  • resenha do livro Teoria da História
    1495 palavras | 6 páginas
  • Fichamento do livro "as teorias da justiça depois de rawls", de roberto gargarella
    1114 palavras | 5 páginas
  • FICHAMENTO: As Teorias da Justiça Depois de Rawls
    1279 palavras | 6 páginas