Resumo da obra contos negreiros

2568 palavras 11 páginas
Na obra Contos Negreiros, Marcelino Freire aborda temas delicados e polêmicos como racismo, turismo sexual, tráfico de órgãos e homossexualismo. A paisagem urbana é o cenário principal de seus cantos (contos). Algumas paisagens de importantes centros urbanos, como Recife e São Paulo, como as zonas de prostituição, morros, favelas e pontos turísticos, tornam-se palcos para a exposição de uma realidade complexa e miserável, vivida por prostitutas, “bichas”, negros, índios, além de abrigar traficantes de órgãos e de drogas, e turistas sexuais. Marcelino Freire apresenta 16 narrativas (contos e crônicas) que procuram aproximar-se de uma linguagem coloquial, memorial e, às vezes, musical, baseada nas influências deixadas pela oralidade das …exibir mais conteúdo…

O testemunho representa as experiências de um coletivo que as torna, sobretudo, comunicáveis. Algo que, embora possa virar notícia, não torna a experiência uma mensagem a ser legitimada. Segundo Beatriz Sarlo, para existir a experiência é necessário que a narração esteja unida ao corpo e é exatamente esse tipo de narração que é feito pelos personagens dos Contos Negreiros, pois suas experiências são contadas com os próprios corpos e através da memória do seu autor. As experiências do nordestino que muda para a cidade grande oferecem a Marcelino Freire uma série de acontecimentos e histórias que são transformadas em relatos do cotidiano dos personagens excluídos.

Os testemunhos dos personagens apresentam a vida do citadino, em particular daqueles que habitam no submundo da cidade, vivendo à margem, mas que ganham voz e corpo nas narrativas do autor pernambucano. Os sujeitos-testemunhas transmitem suas experiências fatídicas, entretanto, esses personagens não são mais importantes que os efeitos dos seus testemunhos ou que as mensagens transmitidas pelos seus relatos. Para Beatriz Sarlo: “Em suma, não se pode representar tudo o que a experiência foi para o sujeito, pois se trata de uma matéria prima em que o sujeito-testemunha é menos importante que os efeitos morais de seu discurso. Não é o sujeito que se restaura a si mesmo no testemunho do campo, mas é uma dimensão coletiva que, por ocasião e imperativo moral, se

Relacionados

  • Lima barreto: o homem que sabia javanes e a nova california - analise dos contos
    4064 palavras | 17 páginas
  • Pai contra mãe - machado de assis
    1855 palavras | 8 páginas
  • MARIA DA CONCEIÇÃO EVARISTO: A REPRESENTAÇÃO DA MULHER NEGRA
    2961 palavras | 12 páginas
  • Romantismo - acadêmico de letras
    2995 palavras | 12 páginas
  • Normas tcc
    5740 palavras | 23 páginas
  • chiquinho
    17195 palavras | 69 páginas
  • Cultura Indigena A influência no Brasil
    8562 palavras | 35 páginas
  • Machado de assis - memórias póstumas de brás cubas e dom casmurro
    7980 palavras | 32 páginas
  • O PAPEL DO PROFESSOR NA DITADURA MILITAR DE ACORDO COM AS ENCICLOPÉDIAS NACIONAIS DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA ELABORADAS NO PERÍODO DE 1964 - 1985
    20015 palavras | 81 páginas
  • A Esportivização da Capoeira
    11872 palavras | 48 páginas