Resumo informativo Vicios da Linguagem Juridica

850 palavras 4 páginas
CAMILLO, Carlos Eduardo Nicoletti. Vícios da Linguagem Jurídica. São Paulo, 2012.
A linguagem é um caminho essencial para a comunicação entre as pessoas seja ela pessoal ou impessoal, natural ou ténica, a linguagem natural vem do senso comum que é a linguagem conhecida por todas seja ela escrita ou falada, a linguagem técnica usada por leigos e cientistas é usada para o distanciamento da linguagem natural, procurando edificar sua ciência com uma linguagem artificial, própria, particular, que atende e respeita a um forte rigor conceitual. O cientista rompe com o senso comum, que é a marca principal da linguagem natural para apioar-se em um linguagem eminentemente técnica, precisa, artificial, e controlável. Dessa forma a ciência dogmática do Direito constrói seus enunciados, proposições, teses e, especialmente, as suas leis. Não é raro no sistema jurídico, nos depararmos com alguma frustração na sua linguagem, ou mais precisamente, quanto à sua compreensão de algum enunciado ou proposição. A linguagem do Direito eminentemente científca, procura abstrair-se dos vícios de linguagem natural, mas, nem sempre consegue fugir da vagueza, ambiguidade, incerteza e indeterminação. É por meio da linguagem escrita, falada ou pelos movimentos corporais que é possível a comunicação entre os homens, pois a linguagem permite o transporte da informação, e conhecimentos, servindo como meio de controle desses conhecimentos. De acordo com GENARO R. CARRIÓ, “para quem a linguagem é a mais

Relacionados

  • Resumo sobre estudo da linguagem
    1195 palavras | 5 páginas
  • Vicios de linguagem
    2302 palavras | 10 páginas
  • Resumo teoria da norma juridica
    1354 palavras | 6 páginas
  • resumo - a linguagem moderna da arquitetura
    2501 palavras | 10 páginas
  • Atributos da Linguagem Jurídica
    6139 palavras | 25 páginas
  • Linguagem juridica
    841 palavras | 4 páginas
  • Resumo capítulo 3 "linguagem jurídica" (maria josé constantino petri)
    552 palavras | 3 páginas
  • linguagem juridica
    4611 palavras | 19 páginas