Ulisses liberto

857 palavras 4 páginas
ELSTER, Jon. Ulisses Liberto; Capítulo 1 Nesta passagem, Jon Elster discute os motivos para indivíduos limitarem suas opções de escolha bem como os mecanismos utilizados para realização dessas restrições. Como já discutido no seu livro “Peças e engrenagens das ciências sociais”, as ações tomadas pelos indivíduos nem sempre são eficientes no alcance do objetivo visado. Assim sendo, eliminar certas opções constituem uma ferramenta facilitadora no processo de alcance do fim desejado. Essa tarefa realizada pela restrição acontece através da autoproteção contra paixões, mudanças de preferencias e inconsistências temporais. Nesse sentido, existem 3 possibilidades de alterar a gama de opções a fim de otimizar o alcance do resultado esperado por uma ação: eliminar certas opções, tornar algumas opções mais “custosas” e através do não conhecimento de certas opções. Nesse contexto se desenvolve a “Teoria da Restrição”, no qual, em alguns casos específicos, nos indica que dispor de menos opções apresenta-se como uma vantagem. Nesse trecho, Elster se ocupa de duas maneiras de restrições que levam ao beneficio de seus praticantes: restrições acidentais (não intencionadas) e os pré-compromissos (estabelecidos previamente pelo individuo). De maneira geral não há como explicar restrições acidentais por seus benefícios, por que esses não foram intencionados. Já os pré-compromissos podem. Um dos motivos para auto-restrição são as paixões (aqui entendidas por emoções e vícios). Quando

Relacionados

  • ELSTER, Jon; Ulisses Liberto cap. 1
    834 palavras | 4 páginas
  • Religiões no brasil
    5198 palavras | 21 páginas
  • A linguagem da modernidade na literatura em língua portuguesa
    5123 palavras | 21 páginas
  • Profuncionário - memorial das atividades desenvolvidas no módulo 2: educadores e educandos: tempos históricos
    9921 palavras | 40 páginas
  • Modernismo no brasil e em portugal
    12192 palavras | 49 páginas