Vetos Kantianos

1415 palavras 6 páginas
A PSICOLOGIA E AS CRITICAS EM KANT
Danielle Pataco1
Maria de Lourdes Ferreira2

Nossa questão é inicialmente histórica, de uns vetos formulados pelo alemão Immanuel Kant no século XVII é reputado como maior filósofo após os antigos gregos. Para obtermos a psicologia como ciência ela deverá responder a essas críticas e libertá-la da visão metafísica designada a ela por Kant.
A história da psicologia nos induz uma força de diferença entre uma ciência do psiquismo e uma psicologia metafísica, dogmática, ao lado da teologia e da cosmologia. Kant irá cessar um determinado tipo de metafísica, mas não a metafísica. Iremos formular mais extensamente o conceito de metafísica de acordo com Immanuel.
Em primeiro momento iremos responder o que
…exibir mais conteúdo…
Kant conclui com isso que nada é possível se não for estabelecido de forma empírica, só é possível o conhecimento que puder ser verificado, de acordo com Kant.
“Assim, pois, todo conhecimento humano começa com intuições, eleva-se até conceitos e termina com ideias. Embora para esses três elementos ela tenha fontes de conhecimento a priori que, à primeira vista, parecem ultrapassa os limites da experiência, uma crítica completa nos convence, entretanto, de que toda a razão, no uso especulativo, nunca pode, com esses elementos, ir além do campo da experiência possível […]”. Aqui se distingue duas formas do saber, temos a dualidade Conhecimento empírico X Conhecimento puro. O empírico é onde se encontra o conhecimento pós-experiências, e o puro é o conhecimento ausente de experiência, o conhecimento a priori. 2º Veto: Crítica da Razão Prática.

Na obra Kant demonstra que a razão pura é prática por si mesma, ou seja, ela dá a lei que alicerça a moralidade, a razão fornece as leis práticas que guiam a vontade. “Admitindo-se que a razão pura possa encerrar em si um fundamento prático, suficiente para a determinação da vontade, então há leis práticas, mas se não se admite o mesmo, então todos os princípios práticos serão meras máximas” [KANT, I. pág. 31]. 5

3º Veto: Crítica do Juízo.

Agora iremos apresentar as respostas dadas a estes três vetos kantianos, vale lembrar que não foram respostas diretas, foram

Relacionados

  • Etica
    920 palavras | 4 páginas
  • Resumo Capítulos 3 e 4 - George Tsebelis - Atores com Poder de Veto e Análise Institucional
    5966 palavras | 24 páginas
  • Resumo do livro iniciação a estética- 1º capitulo
    812 palavras | 4 páginas
  • Fichamento dworkin
    1888 palavras | 8 páginas
  • O código civil brasileiro de 1916
    8091 palavras | 33 páginas
  • INATISMO EMPIRISMO
    1477 palavras | 6 páginas
  • Immanuel kant: deontologia e criticismo
    1397 palavras | 6 páginas
  • Fases do processo de criação da lei
    2719 palavras | 11 páginas
  • História da Psicologia - a problematização do sujeito
    459 palavras | 2 páginas
  • Fases do processo legislativo de lei ordinária e lei complementar
    1765 palavras | 8 páginas