o realismo nos maias

1950 palavras 8 páginas
O Realismo n’Os Maias

Sónia Silva Nª63222
Literatura e Cultura Portuguesa 4
Universidade do Minho
2012/2013

1.Introdução
O meu trabalho consiste numa abordagem à obra “Os Maias” de Eça de Queirós, verificando os pontos realistas que nela existem.
Com este trabalho pretendo dar a conhecer o realismo presente nesta obra de Eça de Queirós, publicada em 1888, na cidade do Porto. Depois de uma breve referência sobre o autor, irei essencialmente, salientar todos os momentos realistas presentes na obra, nomeadamente o adultério, o fanatismo religioso, a poltronice nacional, bem como a temática do jornalismo corrupto.
Para tal, baseei-me em material como livros, não só a obra “Os
…exibir mais conteúdo…
Surge, no final deste episódio, um ambiente de confusão total gerado pelos protestos daquele que perdeu a corrida. Na obra verificamos toda esta confusão através do léxico, pois havia toda uma agitação, confusão, rebuliço, e este ambiente é essencial caracterizado pelo barulho. O escritor põe em evidência todos os pecados da sociedade, sociedade esta, que não altera a sua forma de estar com o mundo.
Como exemplo da questão do adultério, temos a Condessa de Gouvarinho, bem como de Rachel Cohen e Maria Monforte. Vejamos o caso de Rachel Cohen, uma mulher calma, sem repudiar o marido, tem vários amantes, nomeadamente Ega. Casada com o banqueiro Cohen torna-se amante de Ega, e quando o seu marido descobre o romance ela decide ficar com ele, pois a condição social e financeira era melhor que a de Ega. Já a Condessa de Gouvarinho mantém uma relação amorosa com Carlos. A Condessa de Gouvarinho é amante de Carlos da Maia, e apesar de ser casada com o Conde de Gouvarinho, ela não se importa e trai-o. A Condessa vai visitar Carlos ao consultório com o pretexto da doença do filho, e convida-o para ir até sua casa e mesmo com o seu marido por perto não disfarça a verdadeira intenção dela, daquele convite. Já Maria Monforte, a negreira mulher de Pedro da Maia, apresenta uma descrição física que condiz com a forma como ela se movia na sociedade daquela época. Uma mulher bela e provocante, usou todo o seu charme para cativar todos os homens de Lisboa daquela época. É

Relacionados

  • Os maias - análise do episódio do jantar do hotel central
    2391 palavras | 10 páginas
  • Realismo em portugal e no brasil
    957 palavras | 4 páginas
  • "Os maias" - jantar do hotel central
    1347 palavras | 6 páginas
  • Os Maias - Capítulos XV e XVI
    2056 palavras | 9 páginas
  • Os maias
    2333 palavras | 10 páginas
  • Os Códices Mexicas
    2488 palavras | 10 páginas
  • O Realismo-Naturalismo Português nas obras de Eça de Queirós.
    1214 palavras | 5 páginas
  • Arte asteca
    927 palavras | 4 páginas
  • o realismo em portugal
    1990 palavras | 8 páginas
  • Quadro Demonstrativo das Literaturas: Brasileira e Portuguesa
    1419 palavras | 6 páginas