resumo - a linguagem moderna da arquitetura

2501 palavras 10 páginas
A linguagem
Resumo do Livro “Linguagem Moderna da Arquitetura” de Bruno Zevi
ZEVI, B. Linguagem Moderna da Arquitetura. 1 ed. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1984. p. 11-72.
Em seu livro “Linguagem Moderna da Arquitetura”, o arquiteto e teórico Bruno Zevi procurou preencher a lacuna deixada pelo seu predecessor “Linguagem Clássica da Arquitetura” do inglês John Summerson. Segundo Zevi, durante séculos, a única língua arquitetônica foi a do classicismo. Todas as outras eram, então, consideradas exceções à regra e, por isso, não possuíam vida autônoma. Deste modo, tendo a arquitetura moderna nascida como uma antítese à polêmica do neoclassicismo, se ela não se estruturar em língua, corre o risco de se tornar instransmissível.
Quando o sistema Belas Artes codificou a arquitetura moderna, congelando-a, foi feito de modo a convertê-la em um clássico, tornando-se assim, impossível codificar em sentido dinâmico a linguagem moderna. Uma vez que, bem ou mal, os arquitetos se comuniquem, ou seja, falem arquitetura, faz-se necessário estabelecer com exatidão aquilo que quer dizer falá-la em código anticlássico.
Nesse sentido o autor afirma que seu objetivo nesse ensaio é de estabelecer uma série de invariáveis da arquitetura moderna baseando-se em suas mais significativas paradigmáticas obras. Zevi elege sete invariáveis, às quais podem-se lhe acrescentar outras tantas, mas sempre com a condição de que não se contradigam as anteriores.
I. CATÁLOGO
A primeira invariável da

Relacionados

  • Resumo história da arte e arquitetura v
    1822 palavras | 8 páginas
  • Resenha “Depois Do Movimento Moderno, Arquitetura da segunda metade do século XX”, Josep Maria Montaner
    2268 palavras | 10 páginas
  • Resumo do texto O Campo Ampliado da Arquitetura
    2106 palavras | 9 páginas
  • Tectônica arquitetônica
    5234 palavras | 21 páginas
  • Resumo A Busca De Le Corbusier Pela Forma Ideal
    3435 palavras | 14 páginas
  • Dependência e resistência: transição na arquitetura brasileira nos anos de 1970 e 1980 (SPADONI, Francisco).
    2194 palavras | 9 páginas
  • James Stirling
    956 palavras | 4 páginas
  • Arquitetura Escandinava
    1403 palavras | 6 páginas
  • Máquina multinível
    1725 palavras | 7 páginas
  • Trabalho de Teoria da Arquitetura e Urbanismo
    4067 palavras | 17 páginas