teeteto

1427 palavras 6 páginas
TEETETO

No Teeteto encontramos um diálogo, onde a questão proposta é “ O QUE É O CONHECIMENTO”, e Sócrates como um filho de parteira, propõe-se a servir de parteiro ao jovem Teeteto, e assim ajudá-lo a parir de dentro de si a resposta para o que é o conhecimento.
Em primeiro é a questão de que o conhecimento consiste em coisas como a geometria e a carpintaria, mas isso não serve como definição, pois a palavra conhecimento teria de ser usada se tentássemos dar definições de matemática e carpintaria, e o que Sócrates está à procura é aquilo que serve a todos os tipos de conhecimento, uma única definição.
A seguir Teeteto propõe que o conhecimento é a percepção, pois ao conhecer-se algo é ter contato com ela por meio dos nossos
…exibir mais conteúdo…
A mais óbvia de todas é quando alguém tem uma crença que é capaz de exprimir por meio de palavras, mas toda a gente que tenha uma crença verdadeira e que não seja surdo ou mudo é capaz de fazer isto, de modo que este dificilmente contaria como um critério para distinguir entre a crença verdadeira e o conhecimento.
A segunda maneira é a que Sócrates leva mais a sério, ter uma crença articulada acerca de um objeto é ser capaz de proporcionar ama análise dela. O conhecimento de lago adquirido ao reduzi-lo aos seus elementos. Mas neste caso não pode haver conhecimento dos elementos básico, que não são analisáveis. Os elementos que formam as substâncias do mundo são como as letras que formam as palavras de uma língua, e analisar uma substância pode se comparado a soletrar uma palavra. Mas, ao se soletra Sócrates, não se pode soletrar a letra S. Assim como uma letra não poder soletrada, também os elementos básicos de mundo não podem analisados e, portanto não podem ser conhecidos? Além disso, apesar de o conhecimento dos elementos ser necessário ao conhecimento dos complexos, não é suficiente, pois uma criança pode saber todas as letras e, mesmo assim, não ser capaz de soletrar proficentemente.
Na terceira interpretação, uma pessoa tem uma crença articulada acerca de um objeto se for capaz de produzir uma descrição que só se aplique a esse objeto. Assim, podemos

Relacionados

  • Analise do conhecimento em teeteto
    1629 palavras | 7 páginas
  • definição tradicional do conhecimento e critica
    1577 palavras | 7 páginas
  • O conhecimento como crença verdadeira justificada
    492 palavras | 2 páginas
  • Estranhamento e desnaturalização
    4705 palavras | 19 páginas
  • Exercício 1 de história do pensamento filosófico
    1642 palavras | 7 páginas
  • Pensamento político na antiguidade clássica
    1312 palavras | 6 páginas
  • Vida de platão
    1612 palavras | 7 páginas
  • Vida e obra de platão
    1615 palavras | 7 páginas
  • A simplicidade é o último degrau da sabedoria.
    2180 palavras | 9 páginas
  • Período pré-socrático e clássico
    2747 palavras | 11 páginas