Construção do pensamento ocidental: contribuições de aristóteles para a política ocidental e sua influência no pensamento filosófico de são tomás de aquino

1683 palavras 7 páginas
Quando pensamos no desenvolvimento do pensamento Ocidental, não podemos excluir as heranças da Antiguidade Clássica, especialmente no que concerne à Grécia. A partir da quebra com as representações míticas para explicar os fenômenos referentes à vida humana, esta civilização abre espaço para que floresça a filosofia e, como consequência, o pensamento político. Assim, além das contribuições dos notáveis textos pré-socráticos, socráticos e platônicos, se mostra imprescindível o conhecimento das colocações aristotélicas para nossa forma de pensar e agir em sociedade. Aristóteles, que reside na Grécia Antiga como meteco (estrangeiro livre sem direito de cidadania), é o primeiro filósofo a introduzir sistematicamente o raciocínio sócio-lógico …exibir mais conteúdo…

Considerando a esquematização do pensamento aristotélico aqui apresentado, podemos perceber que suas colocações ultrapassaram a Antiguidade e se fizeram presentes também na Idade Média quando as questões divinas são colocadas em plano central e há um afastamento do uso da razão. Recuperada por intermédio de textos Greco-Árabes importados da Península Ibérica principalmente entre os séculos XII e XIII, a filosofia moral de Aristóteles foi difundida principalmente por Averróis cuja defesa é de que especialmente a filosofia daquele e a lei divina – no caso, do Corão – se esclarecem mutuamente e se completam. Assim, é quebrado o sentido de oposição entre razão e tradição religiosa partindo de duas correntes medievais acerca desse pensamento, sendo elas a averroísta e a peripatética. A corrente averrorista, que tem como figura ideológica central exatamente Averróis, encara a filosofia e a relação divina como domínios complementares, mas que devem ser separados porque, neste caso, a razão natural não é considerada capaz de entender o sentido profundo da palavra de Deus. A corrente peripatética, por sua vez, objetiva unir os conteúdos da filosofia e da revelação cristã, e teve como precursor Alberto Magno que militou sobre o pensamento aristotélico acerca da observação e do conhecimento real. Segundo este, a filosofia possibilita um saber autônomo que

Relacionados

  • Resumo - síntese de uma história das idéias jurídicas: da antigüidade clássica à modernidade
    4257 palavras | 18 páginas
  • Instituiçoes politicas medievais
    5818 palavras | 24 páginas
  • Filosofia Medieval
    7428 palavras | 30 páginas
  • Sociologia - platão, aristóteles, o imperio romano, renascimento, a origem do estado
    1615 palavras | 7 páginas
  • Ideias Psicológicas Da Antiguidade À Idade Média
    4874 palavras | 20 páginas
  • Moacir gadotti
    15344 palavras | 62 páginas
  • Atividade Pratica Supervisionada - UNIP
    10381 palavras | 42 páginas
  • Epistemologia jurídica e Filosofia do Direito
    11697 palavras | 47 páginas
  • Pensamento pedagógico oriental
    11300 palavras | 46 páginas
  • Trabalho sobre conceitos do homosapins
    11505 palavras | 47 páginas