Filosofia medieval

1932 palavras 8 páginas
FILOSOFIA MEDIEVAL.

ALUNOS:
NAGEL ERICK HORN MARTINS
KELMAN
CÉSAR HIAGO
CLAUDIO FIGUEIREDO
LINDOMAR
LUIS VELASCO
CARMEM
JACKSON
FERNADA

2º SEMESTRE UNIC BEIRA RIO - NOTURNO

CUIABÁ, DIA 15 DE ABRIL DE 2013
Filosofia
Podemos chamar de Filosofia Medieval a filosofia que se desenvolveu na Europa durante a Idade Média (entre os séculos V e XV). Como este período foi marcado por grande influência da Igreja Católica nas diversas áreas do conhecimento, os temas religiosos predominaram no campo filosófico.
Características e principais questões debatidas e analisadas pelos filósofos medievais:
- Relação entre razão e fé;
- Existência e natureza de Deus;
- Fronteiras entre o conhecimento e a liberdade humana;
-
…exibir mais conteúdo…
Os dois momentos mais importantes da filosofia no período medieval:

O período chamado patrística ocorre de meados do século IV ao século VIII d. C. Busca-se na patrística uma reconciliação entre a fé e a razão, sobretudo a partir da interpretação da filosofia de Platão, destaca-se a figura de Santo Agostinho.
Com o desenvolvimento do cristianismo, tornou-se necessário explicar seus preceitos às autoridades romanas e ao povo em geral. A igreja Católica sabia que esses preceitos não podiam ser impostos pela força. Tinham que ser apresentados de modo convincente.

OU SEJA:

Os primeiros padres se empenharam na elaboração de inúmeros textos sobre a fé e a revelação cristãs. O conjunto desses textos ficou conhecido como patrística por terem sido escritos principalmente pelos grandes padres da igreja.

Patrística: é o nome dado à filosofia cristã dos primeiros sete séculos, elaborada pelos Padres ou Pais da Igreja, os primeiros teóricos.

Em verdade, a patrística é o esforço cristão de incorporar a filosofia grega para servir-se dela na defesa contra os ataques que lhe dirigiam. Assim, os padres da Igreja tentaram, em primeiro lugar, uma formulação intelectual dos dogmas, e, em segundo lugar, a uma discussão racional com os seus inimigos heréticos ou pagãos.

É relevante lembrar que dogmas são os pontos fundamentais e indiscutíveis de uma doutrina religiosa e que heréticos são os que se mostram contrários aos

Relacionados

  • Filosofia Medieval
    7428 palavras | 30 páginas
  • Filosofia medieval
    2509 palavras | 11 páginas
  • A filosofia medieval de santo agostinho
    3845 palavras | 16 páginas
  • Resumo sobre filosofia antiga e medieval
    1932 palavras | 8 páginas
  • Questões sobre o livro filosofia medieval
    731 palavras | 3 páginas
  • Filosofia antiga e medieval
    1694 palavras | 7 páginas
  • Filosofia cristã
    1205 palavras | 5 páginas
  • Filosofia e etica
    1627 palavras | 7 páginas
  • Cultura medieval
    1330 palavras | 6 páginas
  • O nome da rosa
    1385 palavras | 6 páginas