Fordismo

6166 palavras 25 páginas
RESUMO

Este trabalho relata a evolução do pensamento administrativo no que diz respeito a três importantes momentos. Visa descrever com maior ênfase o modelo de produção em massa defendido por Henry Ford, o sistema Toyota de produção, fruto de uma adaptação as necessidades de um país em um período pós guerra até a consolidação de empresas vistas como flexíveis.

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 5
1.1 Objetivos Gerais 5
1.2 Objetivos Específicos 6
1.3 Justificativa 6
2 METODOLOGIA 7
3 MODELO FORDISTA DE PRODUÇÃO 8
3.1 Contexto Histórico 8
3.2 O movimento da administração científica 9
3.3 Fordismo 10
3.4 Fordismo em crise 11
4 O MODELO TOYOTA DE PRODUÇÃO 13
4.1 Contexto Histórico 13
4.2 Toyotismo 15
5 FORDISMO X TOYOTISMO 18
6 PRODUÇÃO MODULAR VOLKSWAGEN 21
7 ORGANIZAÇÕES FLEXÍVEIS 24
8 CONCLUSÃO 28
9. REFERÊNCIAS 29

1 INTRODUÇÃO

Henry Ford, visando desenvolver um modelo popular e padronizado de automóvel, com baixo custo de produção e manutenção, lança em 1908 o modelo “Ford T”. Revoluciona a produção antes vista como artesanal e passa a produzir em massa o primeiro automóvel considerado popular,já que antes do lançamento deste, carros eram considerados artigos de luxo. Assim, foi criada a primeira linha de montagem móvel, a qual, graças a imposição da época, sofre alterações em seu modelo de produção.
O Japão, diante da crise ocasionada pelo término da Segunda Guerra Mundial, sente a incapacidade de utilizar o modelo de produção Fordista-Taylorista

Relacionados

  • Conceitos de fordismo
    2451 palavras | 10 páginas
  • Fordismo, Toyotismo e Keynesianismo
    1156 palavras | 5 páginas
  • O Fordismo e a Revolução da Administração de Empresas
    827 palavras | 4 páginas
  • Abordagem Classica X Fordismo
    1423 palavras | 6 páginas
  • Fordismo
    985 palavras | 4 páginas
  • Taylorismo, Fordismo, Toyotismo e Reestruturação Produtiva
    2341 palavras | 10 páginas
  • taylorismo e fordismo
    1063 palavras | 5 páginas
  • MCDONALDS X FORDISMO
    414 palavras | 2 páginas
  • fordismo, sua crise e o caso brasileiro
    12430 palavras | 50 páginas
  • Fordismo, taylorismo e toyotismo
    1842 palavras | 8 páginas